Passei por Santarém à hora do almoço e resolvi comer por lá.

Como estava “farto” de ouvir falar no restaurante Ó Balcão, decidi fazer-lhe uma visita. Já lá tinha estado à porta, mas só desta vez é que entrei. O edifício é dotado de uma fachada bastante bonita. E o interior está muito bem decorado, parece uma tasca antiga com mesas de tampo em pedra, azulejos nas paredes e algumas antiguidades engraçadas. Quando cheguei não estava cheio, mas quando saí já estava.

A carta é variada e tem prato do dia. Como ando a (tentar) fazer dieta, mandámos vir um Cação de entrada. Frito, com Limão, a fazer lembrar o Cação de Adobo que se come na Andaluzia, frito, temperado com Pimentão.

Veio também o prato do dia, que era Lombo de Porco assado no forno com Arroz de Feijão. Lamentavelmente, o Lombo de Porco não tinha nenhum tempero. Nem Sal.

Bastava seguir a tradição no Ribatejo onde se usa a massa de Pimentão para dar sabor à carne, normalmente feita em casa. Lembro-me bem, em criança e durante a minha juventude, que lá na aldeia os talhos faziam a matança do Porco à quinta ou sexta-feira e depois vinha o veterinário para verificar a qualidade da carne. Só depois é que a Carne de Porco era posta à venda no talho. Como não havia rede de frio, muito menos frigoríficos, as carnes eram vendidas sem tempero no primeiro dia, e depois eram temperadas com massa de Pimentão e Sal, sendo depois vendidas durante a semana ou até à próxima matança do Porco.

Talvez no meu imaginário a Carne de Porco assada no forno, frita, ou até grelhada, tenha sempre de levar massa de Pimentão, ou Colorau. Daí ter alguma dificuldade em ver no prato uma fatia de Lombo, da parte do cachaço, sem cor nem tempero nenhum. O Arroz estava bom!

Para sobremesa optei pelos Quadradinhos de Alpiarça, a pensar nos que costumo comprar à Dona Ana Tendeiro de Alpiarça, e que eu adoro! Estes que provei como sobremesa, além de não terem nada a ver com os originais, tinham pouco sabor e com um molho por cima, para dar um aspeto moderno, mas que não lhe fazia falta nenhuma.

Acabei por gostar do Cação e do Arroz!