Quando fui buscar azeite à Lagoa, em Trás-os-Montes, passei por Monforte e resolvi atravessar para Espanha (a caminho de Bragança) porque era mais rápido. Antes de entrar em Portugal, passamos pelo ‘pueblo’ de Sanábria. Como o António nunca lá tinha estado, paramos o carro e fomos dar uma volta. Eu, como de costume, entro nas mercearias todas. Uma delas tinha uma série de produtos engraçados, sendo que um deles eram umas feijocas enormes. Comprei um quilo para cozer e depois congelar. São tão grandes que parecem favas.
O dono da mercearia fez questão de me explicar como se cozem estas feijocas para reduzir um pouco os “gases”:

– Ponha o feijão de molho 24 horas, mude água e deixe de molho por mais 24 horas.
– Na altura de cozer, ponha as feijocas dentro da panela cobertas com água fria, três dedos acima.
– Quando levantar fervura, deite a água fora e volte a pôr água fria.
– Deixe cozer até sentir os feijões macios sem se desfazerem. Tempere depois com sal.
– Deixe arrefecer e congele dentro sacos ou em caixas de plástico, com o caldo da cozedura.

Coma-os mesmo assim, temperados só com azeite. Também pode usar numa feijoada, a acompanhar um cozido, ou como lhe apetecer.