O prego do Gambrinus é uma experiência inesquecível. Do lombo, a desfazer-se, num papo-seco aquecido barrado a pedido com manteiga, tche… É de arrepiar! Nem precisa de mostarda, acompanhado por uma Gambrinus. É de comer e chorar por mais!

Quando lá vou, sento-me no balcão. Ao comando da barra está o Sr. Brito. Começo por pedir um croquete, (trazem dois) acabados de fritar, bem quentes, são fabulosos, acompanhados com a mostarda da casa, e a picante inglesa Colman’s, uma desgraça. Não há palavras (estou a escrever e a babar-me).

Quando leio algumas revistas com críticos especializados que premeiam os melhores pregos de Lisboa, os melhores pregos de Portugal, e não falam dos melhores pregos do mundo, alguma coisa está mal.

O Restaurante Gambrinus em Lisboa fica perto do Rossio na Rua das Portas de Santo Antão, e há muitos anos que faz parte da história da restauração lisboeta.

O Sr. Brito nunca se esquece dos gostos mais “bizarros” dos clientes, quando nos sentamos põem à nossa frente umas torradas de centeio com manteiga. Eu gosto mais com azeite e sal grosso e não preciso de o lembrar.

Este texto já foi escrito há bem mais de um ano, na altura os pregos eram servidos dentro de papo-secos. Estive lá a petiscar há tempos e só a muito custo desencantaram uma carcaça para o prego.

Tinham então descoberto umas bolas de centeio onde punham os bifes. Voltei lá ontem com um cliente, desta vez sentámo-nos à mesa comemos os queijos, o presunto, uns croquetes espectaculares, umas ameijoas ótimas e a fechar uns pregos.

Já não usam mesmo os papo-secos, agora só as ditas bolas de pão de centeio. Depois destes petiscos todos, comer uma bucha destas compacta com um bife lá dentro… Fiquei completamente embuchado!!! Alem de só me saber a pão.
Na conversa que tive com quem nos atendeu, tentei que compreendesse que um papo-seco, como tem uma textura muito ligeira, não se sobrepõe ao sabor da carne e da manteiga, antes pelo contrário, fica uma combinação muito “elegante”. Nesta nova versão, só sabe a pão! Acabou-se a tradição no restaurante mais conservador de Lisboa.
Vou esperar pelo regresso dos papo-secos!!!